Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

SensívelMente

Saúde Mental | Vida de Solteira | Filmes | Livros | Memes | Já disse saúde mental?

SensívelMente

Saúde Mental | Vida de Solteira | Filmes | Livros | Memes | Já disse saúde mental?

12 de Abril, 2021

Morning Pages - O que são e como podem ajudar?

SensivelMente

image-asset.jpeg

(fonte da imagem)

Desde miúda que sempre tive diários. Sempre escrevi sobre mim, sobre o que me rodeia, as coisas que faço, que sinto, poemas, ideias para histórias... Desde que aprendi a escrever que a escrita me proporciona, não só, uma forma de expressão como também uma maneira de ventilar, um outlet para o que quer que seja que eu esteja a sentir. 

Com a vida académica, parei de escrever com esse propósito. A poesia continuou, houve apontamentos poéticos aqui e ali, mas esta escrita confessional e do deixar fluir raramente acontecia. Talvez porque fazia parte do meu trabalho escrever de uma maneira mais formatada, académica, para a tese, para os artigos e conferências que apresentei, e por isso a parte mais criativa ficou um pouco adormecida.

Mas já por algumas vezes quis voltar a isso, mas conforme olhava para o papel ficava bloqueada: "Mas que raio vou eu escrever? Será que vale a pena? Não vale. Vou ficar quieta, sei lá o que tenho para dizer..." Ultimamente, essa vontade de voltar a escrever assim voltou e procurei várias formas de tentar recomeçar. A que encontrei e que me fez maior sentido foi esta ideia das Morning Pages. O que é isto?

O conceito das Monrning Pages foi criado pela autora Julia Cameron e, inicialmente, destinava-se a ajudar artistas a quebrar bloqueios artísticos. Fora do âmbito artístico, pode trazer uma maior clareza mental, diminuir a ansiedade, ajudar a perceber de onde vêm certos pensamentos, problemas, ou outras questões das nossas vidas, mas também a termos um maior contacto com a nossa criatividade, esteja ela relacionada com a escrita ou não. Também ajudam a limpar a nossa cabeça, a que tenhamos mais e melhores ideias e, no fundo, também pode acabar por ser um processo mais terapêutico.

Só existem 3 regras:

  • Escrever de manhã, quando acordamos - todas as nossas ansiedades e dúvidas sobre o dia podem ficar depositadas ali, ou podemos agradecer o que temos, analisar o dia anterior, entrarmos em contacto com o que estamos a sentir no momento, antes de começarmos o nosso dia.
  • Escrever 3 páginas - De quê? Vocês decidem. Mesmo num dia em que não tenham nada para dizer, podem encher as páginas com "blá, blá, blá, não sei o que escrever, isto é chato, os meus vizinhos são uns chatos, quero ficar a dormir mais tempo, bla bla bla" - coisas deste género. Mas mesmo que comecem assim, de certeza que vão buscar alguma coisa para escrever. Nem que seja sobre um livro que leram, um filme ou uma série que viram, ou um sonho que tiveram. Um desabafo. Qualquer coisa.
  • É confidencial -  Ninguém vai ler, ninguém vai saber, ninguém vai julgar, por isso podem escrever o que de mais absurdo, parvo, profundo, sentimental, ou superficial sentirem. A escrita não tem de ser bonita, poética, arrumadinha, filosófica. Só tem de ser aquilo que vos vier à cabeça, num fluxo de consciência. E nada de reler! Acabam, fecham o caderno e no dia a seguir é uma nova página. Só podem olhar para o que escreveram se, em termos cronológicos, já estiverem longe desse período.

 

Eu tenho feito e tem resultado. Tenho gostado, é terapêutico, posso falar mal de tudo e de todos, de ser verdadeira, de dizer parvoíces, de confiar os meus maiores medos e inseguranças. Tudo. Experimentem! Comprem um caderno daqueles que gostam, uma caneta que faça a vossa escrita ser fluida e confortável e comecem.

 

Por fim, deixo-vos aqui algumas pessoas que falam das suas experiências com estas Morning Pages e dos benefícios que podem trazer.

These 3 pages might be your key to a clearer mind, better ideas and less anxiety

Morning Pages é a coisa mais legal que você vai fazer hoje

Morning Pages Journal: 4 motivos para começar o seu

Como fazer Morning Pages: O que são e comocomeçar (vídeo)

2 comentários

Comentar post